20 cidades no Brasil que parecem a Europa

293

Nem sempre é necessário cruzar o Oceano Atlântico para conhecer o melhor da cultura europeia. Algumas cidades espalhadas pelo Brasil oferecem experiências turísticas semelhantes ao do antigo continente. Colonizadas por imigrantes advindos de diferentes partes da Europa, como Itália, Alemanha e Suíça, os municípios brasileiros preservam arquitetura no estilo europeu, bem como música e gastronomia típicas. Além disso, contam ainda com um clima ameno que torna a experiência mais completa. Pensando nisso, a Bula selecionou 20 cidades que são capazes de fazer qualquer turista duvidar de que está em solo brasileiro. Alguns destaques são Canela, no Rio Grande do Sul; Nova Friburgo, no Rio de Janeiro; e Guaramiranga, no Ceará.

Alcântara, Maranhão

Alcântara, no Maranhão, preserva mais de 300 construções coloniais, entre igrejas, casas e palácios. As construções datam do século 18, quando houve uma expansão da agricultura no local. Algumas construções ainda hoje possuem os azulejos e as sacadas de ferro importadas de Portugal à época.

Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul

Bento Gonçalves é um dos destinos mais procurados do Rio Grande do Sul, pois é considerada a capital brasileira da uva e do vinho. O atrativo turístico de maior destaque é o Vale dos Vinhedos, que guarda o legado histórico, cultural e gastronômico deixado pelos imigrantes italianos.

Blumenau, Santa Catarina

Blumenau é uma das melhores representantes da cultura alemã fora da Alemanha. Além da arquitetura típica do país, várias cervejarias estão espalhadas pela cidade, com produções fieis àquelas dos imigrantes germânicos.

Campos do Jordão, São Paulo

Localizada na Serra da Mantiqueira, no interior de São Paulo, alguns dos principais atrativos de Campos do Jordão são o clima ameno e o charme da arquitetura. A cidade fica a 1628 metros de altitude, o que faz com que seja o município brasileiro mais alto.

Canela, Rio Grande do Sul

Também localizada na serra gaúcha, Canela é outro pedacinho da Europa no Brasil. Além de bons restaurantes e pousadas charmosas, a cidade guarda pontos turísticos muito procurados da região, como o Parque do Caracol e Alpen Park.

Castrolanda, Paraná

A colônia fundada por imigrantes holandeses fica localizada na cidade de Castro, no Paraná. Ela foi fundada no início dos anos 1950, por aproximadamente 50 famílias oriundas do país europeu. Entre a arquitetura, destaca-se um moinho no estilo típico dos Países Baixos.

Domingos Martins, Espírito Santo

Localizada na região de serras do Espírito Santo, Domingos Martins foi colonizada por imigrantes alemães e italianos, cujos descendentes preservam a cultura europeia por meio de festas folclóricas e eventos gastronômicos.

Gramado, Rio Grande do Sul

Localizada na serra gaúcha, Gramado chama a atenção pelo clima frio em boa parte do ano e pela arquitetura em estilo europeu. As rotas de vinho também são um forte atrativo, com diferentes opções para quem aprecia a bebida.

Gravatá, Pernambuco

Nem só de sol e praia vive Pernambuco. Na região Agreste do estado está a Suíça pernambucana, como é conhecida a cidade de Gravatá. Localizada entre serras, ela possui casas em arquitetura alpina e temperaturas amenas.

Guaramiranga, Ceará

Guaramiranga, localizada na região serrana do Ceará, conta com clima ameno o ano todo. No inverno as temperaturas são especialmente baixas, o que a consolidou como um atrativo turístico. O frio influenciou a arquitetura local, que é inspirada no estilo europeu.

Holambra, São Paulo

A cidade das flores, como é conhecida, possui uma arquitetura única, que se assemelha com a holandesa. Ela recebe milhares de turistas todos os anos, especialmente no mês de setembro, quando abriga a maior exposição de flores da América Latina, a Expoflora.

Monte Verde, Minas Gerais

O distrito sul-mineiro, ligado à cidade de Camanducaia, está localizado entre as elevações da Serra da Mantiqueira. Além da paisagem deslumbrante e arquitetura no estilo colonial, o clima ameno é um de seus principais atrativos.

Morretes, Paraná

Para chegar a Morretes é preciso percorrer a Estrada Graciosa, inaugurada em 1873, que já adianta ao visitante a beleza do destino final. Localizada no litoral do Paraná, a charmosa cidade é famosa por suas construções históricas de arquitetura europeia.

Nova Friburgo, Rio de Janeiro

Cercada pela Mata Atlântica, Nova Friburgo foi colonizada pelos suíços no século 19. Ainda hoje ela preserva muito da cultura do país europeu. O principal atrativo é a culinária, com restaurantes especializados em fondues e racletes.

Paranapiacaba, São Paulo

Próxima a São Paulo, no alto da Serra do Mar, Paranapiacaba é uma herança dos ingleses que participaram da construção da estrada de ferro São Paulo Railway. As constantes neblinas que costumam surgir são a cereja do bolo da arquitetura local, que preserva o estilo da terra da rainha.

Penedo, Alagoas

Fundada no século 16 por portugueses, Penedo preserva um centro histórico com arquitetura no estilo do país colonizador. Ela é considerada a cidade histórica mais bonita de Alagoas, e além das belezas arquitetônicas é rodeada pelo Rio São Francisco.

Penedo, no Rio de Janeiro

Penedo guarda a casa do Papai Noel, fábricas de chocolate e uma arquitetura no estilo europeu. Colonizada pelos finlandeses na década de 1920, ela ainda mantém os costumes e tradições dos imigrantes, em especial na gastronomia.

Pomerode, Santa Catarina

Pomerode é considerada a cidade mais alemã do Brasil, devido ao grande número de imigrantes que se instalaram na região no século 19. Localizada no médio Vale do Itajaí, ela preserva as tradições germânicas tanto na arquitetura, quanto na gastronomia e na música.

Prudentópolis, Paraná

Um pedacinho da Ucrânia no Brasil, Prudentópolis é formada principalmente por descendentes de imigrantes do país europeu. Ainda hoje o idioma ucraniano é utilizado nas missas das igrejas locais. A gastronomia típica também é bastante presente.

Treze Tílias, Santa Catarina

Treze Tílias é considerada um pedaço da Áustria no Brasil, devido ao grande número de imigrantes do país na região. Além da arquitetura, os habitantes preservam a gastronomia, música e dança austríacas. O seu nome deriva das semelhanças climáticas e da vegetação com a região do Tirol, no Leste Europeu.

POR JÉSSICA CHIARELI

Revista Bula

You might also like More from author

Comments are closed.