“Cenário econômico é ideal para investir em imóveis”, diz especialista

104

Recentemente, a Brasal Incorporações realizou uma live para Corretores, especialmente para profissionais que integram a força de vendas da Brasal Incorporações, com adesão de quase mil participantes em Brasília, Goiânia e Uberlândia.

Durante a live, o economista Luiz Gustavo Medina, mais conhecido como Teco Medina, e comentarista titular no quadro “O assunto é dinheiro”, da Rádio CBN de São Paulo, disse  a taxa de juros que estava a 4,25% no início do ano, agora está em torno de 3%, e a previsão para daqui 40 dias é que chegue a 2,25% ao ano. “Com isso, os financiamentos imobiliários tornam-se a mais barata dívida a longo prazo no mercado. Além disso, o investimento em imóveis, seja para fins de moradia ou de rentabilidade, é uma opção interessante neste momento de crise mundial, onde há quedas de PIB projetadas para os países, entre a taxa de -5,3% para o Brasil”, ressaltou.

Na visão de Medina, descontos e outros benefícios têm facilitado o fechamento de negócios. “Quem tem dinheiro deve comprar agora, para ter descontos ou outros benefícios. É um cenário melhor que de seis meses atrás e do que nos próximos seis meses. Quem não tem recursos e precisa de crédito, também é um bom momento, pois o crédito está aberto para a maioria das pessoas e interessa aos bancos conceder crédito nesse momento”, afirmou o especialista.

Sob uma crítica mais minuciosa, Medina explicou que investimento é feito com base em uma análise de variáveis econômicas, financeiras e de rentabilidade. “Quanto tempo mais passa, mais o cenário se estabiliza, os riscos diminuem e há menos concessões”, analisa o economista. Ele acrescentou também que, em dois ou três anos, o cenário econômico estará muito melhor. O investidor estará em condições financeiras para pagar por um ativo comprado em tempo de baixa, afirma.

Desde a década de 1980, contextualizou o conferencista, o País passou por cerca de 18 crises e o pensamento das pessoas costuma ser o mesmo:  “primeiro pensam que a crise não vai acabar e, segundo, é a pior que já se teve. O que já aprendemos é que elas sempre passam e, só depois de algum tempo, é possível analisar real a dimensão que teve. Em países da Europa, ela já está começando a passar”.

Solidez e rentabilidade
De acordo com o especialista, quando se tem algo incerto, como uma pandemia, as pessoas correm para o que é seguro, como o dólar, o ouro e os imóveis.

No caso do imóvel, além da segurança, sua rentabilidade volta a ser interessante no momento em que ações da bolsa sofreram queda de até 50%, e que os investimentos estão rendendo pouco em razão da baixa taxa de juros do País. “O CDI (Certificado de Depósito Interbancário) está rendendo 0,15%. Se consideramos uma locação de 0,45% do valor do imóvel, estamos falando de uma rentabilidade três vezes maior, sem contar a valorização do patrimônio”, comparou

Para Teco Medina, especialmente no momento atual, a solidez de uma empresa contará como um aspecto de diferenciação, o que coloca a Brasal Incorporações à frente. Integrando um dos maiores grupos econômicos do Centro-Oeste com mais de 50 anos de história, a empresa está presente em Brasília, Goiânia e Uberlândia.

You might also like More from author

Comments are closed.