Em Sociedade

415

Para sempre!

Nos últimos dias, já que todo mundo parece estar adorando uma polêmica, muito se falou sobre a paternidade. Uma empresa de cosméticos conseguiu mobilizar a opinião pública ao colocar um trans como representação da figura paterna. Uma bobagem tudo isso. A paternidade não tem cor, não tem status social, não tem gênero, não tem conceito ou preconceito que derrube. Cada um vive a sua e, a partir dela, tem a cara afetiva e psicológica que ela acarreta. Não adianta um “debate” em torno do tema. Pai é pai. Sempre foi. E será para sempre. Cada um carrega consigo as memórias dessa presença determinante para formação de nosso caráter e de nossa personalidade. Deixo aqui, aos céus, a minha gratidão ao meu pai que já se foi. E que foi maravilhoso pra mim. Deixo aqui o meu abraço de amor ao pai dos meus filhos, que é maravilhoso para eles, desde sempre. E para todos os pais que conheço, o meu afeto virtual e o desejo de um feliz Dia dos Pais. Que a vida seja sempre mais para cada um, sempre juntinho de seus filhos.

Retorno

João Coelho Neto, da Santa Lola, celebrou nesse fim de semana a reabertura de suas lojas, com as atividades paralisadas em decorrência da pandemia. Com alegria e otimismo, ele agradeceu todos os diretores e gerentes e mira agora em novas metas a serem cumpridas até o mês de dezembro.

Solidariedade

Para quem não conseguiu adquirir obras de arte do movimento Cultura Luta, cuja receita é destinada aos trabalhadores da cultura em Uberlândia, e quer ter um contato presencial com os trabalhos gentilmente doados pelos artistas visuais da cidade, elas estarão expostas a partir dessa semana no Terra Brasilis Restaurante, ali bem pertinho do Praia Clube. Vale a pena conferir e colaborar com essa causa.

Bem estar

Inovações

A artista e terapeuta holística Vânia Vilela realizou nesse fim de semana, encerrando hoje, o já tradicional retiro do seu Instituto Seva, agora na versão virtual. A edição que começou sexta-feira, foi batizada de “No fluxo da transição” e contou com expressivos palestrantes e terapeutas, disponibilizando vídeos, áudios e atividades extras, além da possibilidade de interação com os outros participantes do grupo.

Um trio de executivos da pesada estará nessa quinta, 13, às 14h, em palestras gratuitas na quarta versão de um webinar dedicado à inovação e transformação digital para empresas. São eles: o empresário Luiz Alberto Garcia, presidente de honra do Grupo Algar, Osvaldo Cesar Carrijo, vice-presidente da Algar Telecom e João Henrique Pereira, diretor de Cultural, Engajamento e Método do Brain. Informe-se nas página virtuais da Algar Telecom e participe!

Corrente do bem

A Casa do Menor Nova Canaã também andou comemorando a vitória de conseguir auxiliar 133 famílias das crianças assistidas pelo projeto. Numa corrente do bem, as voluntárias conseguiram mostrar às crianças que, mesmo com as atividades paralisadas, flui a energia da solidariedade. Parabéns a todos os envolvidos.

Mostra

A Secretaria Municipal de Cultura chama a comunidade para participar dessa comemoração, com o envio de fotografias que irão compor a Exposição Virtual do Aniversário de Uberlândia, com o tema “Fotos da Natureza a partir do quintal de casa!”. Os interessados têm entre 7 e 28 de agosto para enviar suas fotografias para o e-mail silvia.gratao@hotmail.com. Serão aceitas fotografias coloridas no ambiente doméstico que mostrem plantas ou animais, incluindo insetos (com exceção de cães, gatos e outros animais domésticos), durante esse período de necessário distanciamento social. As fotos serão colocadas no site do Cultura em Casa da Prefeitura de Uberlândia,

Tô dentro

A roda da economia voltou a girar, mas as pessoas estão precavidas. Ruas lotadas, lojas com clientes, e quase todos usando máscaras e segundo as medidas de prevenção. Ou seja, as pessoas não são tão desleixadas e irresponsáveis como alguns apregoam.

Tô fora

Quem não tem trabalho e não é reconhecido por meio dele, ou não tenha por onde ser reconhecido de alguma forma mas precisa deste reconhecimento e ama os holofotes, tem de apelar para um comportamento exótico para chamar a atenção. Essa pandemia fez com que muita gente que se passava por importante pelo simples fato de frequentar eventos , caísse no desespero por não ter mais como chamar a atenção. Realmente são tempos assustadores os que estamos vivendo .

Pimenta refresco

Para alguns, ainda que na idade madura, sempre existirá a postura adolescente de pensar que as coisas são eternas. Incrível como certas pessoas se envaidecem de seu tempo, no sentido de considerá-lo duradouro, e não percebem que a vida passa, que elas passam pela vida e que são raras as pessoas no planeta que se perpetuam na fama e não são jamais esquecidas. E mesmo estas, quando isso acontece, são desprovidas de vaidade e essa fama e reconhecimento são mais consequências do que metas. Acordem, pessoas que atingem uma relativa popularidade limitada, localizada, segmentada e já se julgam os “reis da cocada preta”. Gente que teme tanto perder essa “popularidade” que vira patrulheira da vida alheia, policiando cada gesto, cada ação, cada palavra. Há pessoas que atingem um ápice, ainda que regional, e se agarram nisso de tal modo que acabam chegando à maturidade como imaturas. A vida é efêmera, nossas ações são passageiras, nossos feitos têm importância no contexto em que foram feitos. Para a posteridade permanecem apenas os mais geniais, os mais artistas, os mais humildes inclusive, que se colocam numa postura de evolução e não de imposição. Você, que ontem brilhou: não se preocupe se o brilho foi ofuscado por outras pessoas. A fila anda. E se você aprendeu com o seu tempo, isso não te incomoda nem um pouco. Você que brilha hoje: cuide-se e pense não em popularidade mas em crescimento, para que não seja esquecido logo amanhã de manhã. Você que quer brilhar e não consegue: essa não é a coisa mais importante do planeta, muitas vezes o sucesso vem acompanhado da discrição e do anonimato. E, algo que serve para todos nós: ninguém é único no planeta, não há nada mais indigno do que ter complexo de superioridade, considerar-se insubstituível e sentir-se dono da verdade.

You might also like More from author

Comments are closed.