Em Sociedade

1.114

Dia da saudade

A intenção desse comentário inicial não é de promover a tristeza e nem o sentimento fúnebre, mas de agradecermos a vida e pensarmos a morte como uma extensão dela. Nesta segunda, 2 de novembro, entrando no penúltimo mês desse fatídico ano, celebrando o dia da saudade. Sim, mais do que o Dia dos Mortos, Finados é a data para refletir sobre a ausência, a grande lacuna deixada pelas pessoas que amamos e simplesmente foram embora, deixando para trás os que as amavam, as recordações, os afetos, o vazio que ficou. São muitos mortos que permanecem vivos em nós, em nossas memórias, e deixaram saudades. Penso em vários deles agora e suspiro desejando que existam outros planos espirituais e essas pessoas que se foram estejam muito bem neles. E elevo meu pensamento também às pessoas que perderam a vida para a pandemia, desejando que suas famílias estejam bem. Aos mortos que coleciono, o afeto e a esperança do reencontro. Para nós, a vida segue, com a maior plenitude possível, carregando a saudades que temos de todos eles.

HB

Quero deixar aqui registrada admiração pelo colunista Carlos Hugueney Bisneto e parabeniza-lo pela celebração dos 35 anos de carreira. Sem dúvida alguma, é um ícone do colunismo social em Uberlândia, um redator criativo e uma grande referência a todos os profissionais da área que vieram depois. Desejo também grande sucesso novo novo programa. Os meus aplausos a essa carreira sólida e empreendedora.

Na Cult

No início da pandemia, a gente nem imaginava o quanto somos fortaleza. Seguimos, sem titubear, buscando o ponto-de-equilíbrio dentro de um isolamento social, procurando não dar espaço para o desânimo. E lá se vão sete meses. E estamos novamente aqui, dentro de contextos redesenhados, como o novo formato da revista Cult, agora inteiramente virtual e com boa parte interativa. Postei nas minhas redes aqui a minha coluna da edição de outubro. Mesmo saudosa dos eventos presenciais, é bom ver – e também registrar – que a vida continua. E, mesmo reinventada, continua linda. E continua sendo um prazer servir de veículo para as notícias de nossa sociedade. Agradeço aos que acompanham as minhas colunas e, especialmente, aos que colaboram com ela. E desejo a todos uma boa leitura. Em breve a gente se encontra presencialmente para erguermos vários brindes.

Projeção

A marca de gastronomia Bárbara Farina está em franca expansão. Ela firmou inúmeras parcerias com visibilidade e prestígio em todo o território nacional, como o estreito laço com a rede de salões Jacques Janine, de São Paulo, que existe desde o início do ano, a participação na famosa Casa Conceito, com produtos especiais e criados exclusivamente para lá. E acaba de anunciar aliança com um dos nomes mais respeitados da moda no Brasil: o cultuado estilista Amir Slama a convidou para assinar um Slama Café dentro de sua loja atelier. Grandes laços para um trabalho realizado com altos padrões artísticos de excelência gastronômica. Não é apenas grande sucesso e reconhecimento. É a coração de toda uma jornada criativa e empreendedora. Parabéns!

Tem que ser

A vida tem que ser bela, tem de que divertida e tem que ter bom gosto. É com essa premissa que existe o espaço Tem Que Ser. A última quinta teve um charme especial com mais um evento do espaço Tem Que Ser. O trio dinâmico e criativo – Denise Afonso, Winehome e Patrícia Nonato -, como sempre, surpreendeu os convivas com o bom gosto de sempre. Foram horas deliciosas em um encontro para falar de mesa posta, cardápios, harmonizações e sugestões para os dias natalinos que se aproximam, mesmo que neste ano ele venha de forma intimista para a grande maioria. A tarde foi para exercitar o olhar artístico na hora de compor a mesa, com espaço também para dicas, receitinhas e ainda com um bônus: lançamentos e descontos especiais nos produtos da Wine Home e Greta Cauê para quem participou do evento. Imperdível. Parabéns pela iniciativa. A vida Tem Que Ser assim!

No japão

Em plena pandemia mundial, nove músicos japoneses se uniram em homenagem ao compositor ícone da bossa-nova Roberto Menescal e gravaram em português a canção “O Barquinho” composta há 60 anos. O clipe teve estreia mundial como parte das comemorações de aniversário de 83 anos do compositor (25 de outubro) e está disponível nas plataformas. Lançamento pelo canal do artista no Youtube Roberto Menescal Oficial. https://youtu.be/6zun1ZNm4WE

Oficinas

O EmCantar Social, em parceria com o Instituto Algar, está com vagas abertas para oficinas em vários projetos sociais. Crianças e adolescentes podem participar das oficinas online, bastando para isso estar na faixa etária indicada para cada projeto, ter acesso à internet e disponibilidade em algum dos horários oferecidos. As inscrições estão sendo feitas pelo email contato@emcantar.org ou telefones: (034) 3216-6146 e (034) 98808-1191.

Mais oficinas

O mesmo EmCantar também está com inscrições abertas para a prosa poética, para pessoas de 8 a 16 anos, com oficinas semanais regulares, acesso a vídeos complementares e workshops com escritores e arte-educadores. A partir destas experiências, produzirão coletivamente poemas e canções para o álbum Dedo de Verso, que será disponibilizado gratuitamente nas principais plataformas digitais de música. As inscrições estão sendo feitas pelo telefone do Programa Transforma (34) 3216-6146 ou pelo email projetodedodeverso@gmail.com. Dedo de Verso é um projeto com direção artística do músico e escritor Ênio Bernardes de Andrade (Enzo Banzo).

Casa nova

A partir desta quarta, a cabeleireira Clau Borges atende em novo endereço. A casa muda, mas permanece a qualidade e excelência do bom atendimento. Desejo o mais absoluto sucesso na nova etapa.

Tô dentro

Generosidade. Enquanto uma boa parte da população, a maioria talvez, viva em uma bolha de egoísmo, há pessoas que, mesmo não sendo milionárias, mas ciente de que são privilegiadas em um país de muitas desigualdades sociais, ajudam em tudo, das causas animais e ambientais às emergências para famílias pobres em tempos de pandemia e dificuldades econômicas. Gente admirável!

Tô fora

Lamentavelmente, é uma tendência desvalorizar o trabalho do outro. Há muita gente querendo lucrar pagando mal os seus colaboradores ou eventuais prestadores de serviços. Geralmente, são pessoas que quando fazem um orçamento defendem bem o seu preço e acham que só o próprio trabalho é que tem valor.

Pimenta refresco

As pessoas, ao menos boa parte delas, hoje estão muito unilaterais. Se jogam na internet, se acham e esquecem que o jogo da comunicação, desde sempre, é bilateral. Há emissor e receptor. Não acho nada saudável como as coisas estão caminhando e revelando pessoas extremamente egoístas. Algumas fazem postagens, seja no Facebook, Instagram, Whatsapp, sem a necessidade de respostas. E quando elas chegam, nem sempre são lidas. Não se presta mais atenção no outro. No caso do Whats, não existe nada mais grosseiro do que simplesmente não responder. Ou usar do subterfúgio de não estar visível em azul. Digo tudo isso apenas como um preâmbulo para passar mesmo a minha impressão – uma constatação, na verdade, já que é a impressão de muitos – que as pessoas estão doentes. Estavam antes da pandemia e isso parece agravado por ela. Transferem para a internet, de modo muito narcísico, a ilusão de uma vida, a sensação de potência com o seu pensamento e/ou opinião prevalecendo sempre. Basta observar quando há polêmicas na rede, como as pessoas se impõem ali meio que donas da verdade e rechaçando qualquer outra verdade discordante. O território da internet, em suma, virou um duelo de egos. Cheguei, falei e tchau. Não se configura, como deveria ser, como um espaço de comunicação. É apenas um espelho para que as pessoas se admirem e pensem que são lindas e inteligentes. Enquanto a realidade, de uma vida que ainda existe fora da internet, mostra exatamente o contrário. Reflita um pouco sobre isso e veja em que lugar você está!

You might also like More from author

Comments are closed.