Especialista dá conselhos para evitar gafes em festas corporativas de fim de ano

1

 

confraternizacaoO fim do ano chegou e as confraternizações corporativas também. É tempo de comemorar os bons resultados, trocar presentes e relaxar. Mas, como se comportar, até onde o funcionário pode ir? A discussão é oportuna porque muitos extrapolam, bebem demais, levam acompanhantes que não formam convidados, aparecem com roupas curtas, chegam atrasados, fazem self com cara de bêbado e, pra piorar, ainda postam nas redes sociais.

Quando chegam é uma alegria só, mas com o passar das horas exagerarem na bebida e tudo muda. “Isso causa uma péssima impressão. Querendo ou não, as festas de fim de ano são uma extensão da empresa e o mau comportamento pode ferir a imagem pessoal. Quando as pessoas alteram na bebida, fazem fofocas, falam mal do próximo e uns ficam a vontade demais com o colega ou o chefe. Isso dá muito problema porque alguns são comprometidos”, disse a analista comportamental, Hérica Santos.

O cuidado na hora de servir a refeição também deve ser levado em conta. “Não encha o prato. Se tiver vontade de repetir, não tem problema, mas sirva em pequenas porções e não desperdice”.

O maior problema, explica Hérica Santos é que as pessoas se esquecem de que estão sendo observados. “Se aceitou o convite, não dê apenas uma passadinha, não vá vestido com desleixo, com roupas curtas e decotadas, não extrapole na bebida, fortaleça os relacionamentos, não fale apenas sobre trabalho, não critique a festa, cuidado com os flertes, não force intimidade com o chefe e jamais fale mal dele, não pegue o microfone para discursar se não for convidado. Qualquer gafe poderá recair sobre o colaborador e pode virar motivo até de piadas posteriormente. A festa é da empresa e a boa conduta deve prevalecer”, disse.

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.