Mercado de eventos movimenta bilhões em eventos corporativos e sociais

23

 

Casa Garcia
Casa Garcia

Pesquisa aponta que empresariado confia em melhora no mercado de eventos corporativos em 2017

Um dos setores que mais movimenta a economia brasileira é o de eventos. Este mercado, segundo a Abrafesta, movimenta R$ 210 bilhões para eventos corporativos e R$ 16 bilhões para eventos sociais e representa 4,3% do PIB nacional.

Mesmo com o cenário turbulento, eventos, em especial as festas de casamento estão em alta, mesmo que para que aconteçam os noivos adaptem o orçamento apertado. É que em especial, as noivas não querem deixar o sonho de lado.

Região Sudeste lidera

Segundo a pesquisa mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), apontou um total de 1.106.440 casamentos em 2014. Em 2015, no Brasil, os casamentos ultrapassaram a marca de um milhão por ano, e são responsáveis por boa parte do crescimento do mercado de eventos que, segundo a Associação Brasileira de Eventos Sociais (Abrafesta). Ainda de acordo com a Associação Brasileira de Eventos Sociais (Abrafesta), em 2014, a Região Sudeste foi respondeu por metade dos gastos com festas e cerimônia, com R$ 8,6 bilhões, seguida pelo Nordeste (R$ 3 bilhões), Sul (R$ 2,9 bilhões), Centro-Oeste (R$ 1,3 bilhão) e Norte (R$ 1 bilhão).

De acordo com os empreendedores que atuam no segmento, a crise não tem levado os casais de noivos a desistirem de comemorar o enlace. A estrutura da Casa Garcia permite eventos como casamentos, formaturas, festas de 15 anos, desfiles, shows, teatros e também, congressos, feiras, convenções, fóruns, workshops, reuniões, videoconferências, almoços e happy hour de negócios, mas a maioria dos eventos pré-agendados para os próximos anos, pelo menos por enquanto, é o casamento.

O que faz a Casa Garcia ainda em fase de construção ter diversos contratos fechados são os descontos com valores atrativos. A adaptação ao orçamento tem sido uma boa saída para os pretendentes.

A fisioterapeuta Priscila Pereira Celestino disse que reservou a Casa Garcia para abril de 2018. “Moro em Uberaba e fiquei sabendo que a Algar estava construindo um salão de eventos. Conheci alguns espaços em Uberlândia, mas nada igual ao da Casa Garcia. Para o número de convidados, a Casa Garcia vai acolher com qualidade e comodidade os meus convidados. Será melhor do que imaginamos”.

Quem também já tem data marcada para casar é a engenheira civil, Jéssica Neves Belchior. Como tudo tem sido organizado com tranquilidade, a reserva do espaço está feita para 2018. Ela conta que antes de escolher, visitou muitas casas de festas, e descobriu a Casa Garcia pelas redes sociais. “Estive no espaço duas vezes, uma com meu noivo e gostei muito da estrutura. Além de espaçoso, está ficando bem planejado e tenho oportunidade de vários layouts para a decoração, sem contar que foi o melhor custo-benefício que achei”, diz.

Crescimento mercado de eventos corporativos

E não é apenas os eventos sociais que estão em alta, o mercado de eventos corporativos movimentam a cidade e tendem a crescer em 2017 de acordo com um estudo da Câmara Americana de Comércio (Amcham) feita com 86 executivos no final de setembro, sendo que desse total, 65% dizem acreditar na retomada dos investimentos no setor ainda primeiro trimestre de 2017.

No diagnóstico dos promotores de eventos, quatro setores da economia deverão se destacar na retomada de investimentos em 2017, com ações em encontros, reuniões e fóruns: saúde e indústrias farmacêuticas (35%); comunicação e marketing (29%); varejo (21%); e tecnologia (14%).

A pesquisa também mostrou que a principal tendência no setor será a realização de eventos baseados na interatividade entre marcas e público-alvo – com ampliação do uso de aplicativos e tecnologia, o que possibilita a interação entre convidados, palestrantes e realizadores.

Os empresários mencionaram formatos como mini-eventos (19%), com foco em workshops, confraternização, lançamentos de produto, entre outros; e onlines (19%), com engajamento e divulgação nas redes sociais, além de um uso intenso de personalidades e influenciadores digitais.

Luciana Gonçalves
Luciana Gonçalves

Segundo a executiva responsável pela Casa Garcia, Luciana Gonçalves o turismo de negócios é atualmente o setor econômico que mais cresce em Uberlândia, em média 10% ao ano, ao passo que os demais setores crescem na média de 5,42%, segundo dados do Ministério do Trabalho. “Sem dúvida, é o mercado de trabalho que mais cresce na cidade, 8% ao ano, enquanto os demais mercados vêm crescendo em média 5,6%. A cadeia produtiva do turismo em Uberlândia congrega mais de 2.100 empresas e emprega mais de 11 mil pessoas, um mercado pujante, em pleno desenvolvimento. Assim, ao atrair e promover congressos, feiras e eventos, quer sejam regionais, nacionais ou internacionais, a Casa Garcia será uma das grandes opções”, afirma à executiva.

 

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.