Prótese de silicone nas mamas não atrasa diagnóstico de câncer de mama

40

Exames de prevenção devem ser frequentes após uma cirurgia de aumento das mamas

 

Aumentar o tamanho das mamas é o desejo de muitas mulheres, mas, em muitas pacientes, gera aquela dúvida e preocupação na hora de fazer a cirurgia em relação a uma possível descoberta do câncer de mama. Muitas teorias indicam que a prótese de silicone dificultaria o diagnóstico precoce do câncer de mama por meio da mamografia, porém, o cirurgião plástico Francisco Naves esclarece que isso é um mito. “A verdade é que pacientes com prótese de silicone não apresentam atraso no diagnóstico de câncer de mama se comparado com as pessoas que não possuem prótese”, explica o cirurgião, que ressalta o avanço das tecnologias em equipamentos de diagnósticos precoces da doença, assim como a preparação de profissionais, que tem mudado ao passar dos anos. “Antigamente, não havia muitas mulheres com próteses de silicone, então, os especialistas não sabiam bem como proceder com o exame. Atualmente, é muito comum chegar aos consultórios mulheres com próteses e, desta forma, os especialistas estão bem mais preparados para realizarem todos os tipos de exame, apesar da prótese”, explica.

O fato de possuir implante mamário, não impede as pessoas a realizarem o exame de mamografia, tão pouco de um diagnóstico precoce da doença. Com a presença da prótese, é necessário que o profissional da radiologia tenha que realizar algumas manobras de posição das mamas no momento do exame, para que assim o implante não impeça a visualização da glândula. Se surgirem dúvidas, uma ultrassonografia ou ressonância magnética podem complementar esse resultado com informações mais especificas. “Hoje, os equipamentos usados para a realização dos exames são bem avançados e proporcionam muito mais precisão nos resultados”, reforça Francisco.

Antes da colocação da prótese, a paciente deve fazer uma consulta com um mastologista ou oncologista para avaliar por meio de histórico da paciente se existe alguns fatores que são pré dispostos ao câncer. Assim, ele vai orientar quais os exames e com que frequência ela deve comparecer ao especialista depois da cirurgia de aumento dos seios.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), esse tipo de câncer é o segundo mais comum entre mulheres no mundo e no Brasil, porém, o número de pessoas que realizam a mamografia ainda é baixo. “Este é o jeito mais eficaz para o diagnóstico precoce. O exame é muito seguro e não traz riscos de saúde a paciente”, ressalta o cirurgião.

Prótese de silicone

A Mamoplastia de aumento é um dos procedimentos mais procurados em consultórios. Muitas pessoas vão atrás do método por estarem insatisfeitas com o tamanho atual dos seios e isso pode influenciar na baixa autoestima. Segundo uma pesquisa, realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos anos, o aumento de mama tem sido a campeã em cirurgia estética no Brasil que, hoje, realiza cerca de 1,6 milhão de procedimentos por ano. Para a realização da cirurgia a paciente deve estar em perfeitas condições de saúde, por isso, pode ser incluída uma avalição de outros especialistas e inclusive exames de imagem das mamas.

O cirurgião ainda afirma que devem ser discutidos vários pontos com o médico antes de iniciar o processo. “Deve-se saber se os seios da paciente estão totalmente desenvolvidos, o tamanho que ela deseja e o objetivo dessa cirurgia. Pode ser tanto por aumento do tamanho, correção de assimetria ou até uma reconstrução mamaria após um câncer de mama. A paciente se sentir bem, com o seu próprio corpo, é a principal finalidade do procedimento”, finaliza.

 

 

 

You might also like More from author

Comments are closed.