Queda de cabelos pode servir de alerta para a saúde

50

 

pexels-photo-332984

Médica dermatologista alerta sobre riscos de problemas capilares

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, uma pessoa adulta tem de 100 mil a 150 mil fios de cabelo e perde em média 100 fios por dia. No entanto, o excesso dessa queda pode ser um sinal de que algo está errado com a saúde. É o que alerta a médica dermatologista Ana Luísa Moura. Segundo ela, diversos fatores podem estar relacionados a essa mudança.

“O mais importante é prestar atenção se há alguma alteração no padrão de fios que se costuma perder no dia a dia. Algumas pessoas perdem mais e outras pessoas perdem menos fios. Se a quantidade de fios perdidos aumentou, significa que algo está acontecendo no organismo. Essa alteração pode ser reflexo de doenças como anemia, alterações na função da tireóide, doenças autoimunes, DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) ou até mesmo estresse”, detalhou.

Um cabelo tem em média um tempo de vida de seis a sete anos, substituindo-se sucessivamente. Para descobrir se a perda de fios fugiu do habitual, alguns testes podem ser realizados.

Como perceber até quando a queda de cabelo é normal?

De acordo com a médica dermatologista, cada pessoa apresenta um padrão diferente de queda de cabelo. Por essa razão, é importante se atentar a mudanças nesse número de perda e em casos mais extremos, contar a quantidade de fios perdidos no banho.

“Sempre falo para os pacientes que, em caso de dúvidas, a melhor saída é contar quantos fios foram perdidos em um dia durante o banho. Apesar de parecer trabalhoso, isso é útil para termos uma noção da dimensão da queda. Uma perda de até 100 fios em um banho em que o paciente tenha lavado o cabelo em dois dias consecutivos é considerada normal. No entanto, algumas doenças do couro cabeludo cursam com diminuição da espessura dos fios, e, mesmo que a pessoa não perca fios no dia a dia, ela precisa de tratamento médico para que esse afinamento não progrida. Portanto, é sempre importante consultar um dermatologista, para que ele faça o diagnóstico correto da causa da queda e indique o melhor tratamento”, ressalta.

Qual tratamento mais adequado?

Sobre as formas de se tratar a queda de cabelos, a dermatologista destaca a importância de uma investigação detalhada junto ao paciente. “É sempre importante descobrir o que está causando a queda para indicar o melhor tratamento. Se diagnosticarmos alguma deficiência de vitamina, de hormônios, ou alguma doença de base que esteja ocasionando a queda de cabelos, a abordagem sempre será na doença. Caso nada de anormal seja encontrado, sempre poderemos indicar o uso de algumas medicações para diminuir a queda e aumentar o nascimento de fios novos”, explica.

você pode gostar também Mais do autor

Comentários estão fechados.