tratamento

Câncer deve atingir mais de 570 mil pessoas em 2015

No dia 8 de abril, é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer. A data foi criada em 2005, pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) e tem como finalidade chamar a atenção de nações, líderes governamentais, gestores e do público em geral para o crescimento dos índices da doença, que já se transformou em epidemia.

Especialista do COT fala sobre a doença que é a segunda maior causa de morte no Brasil (Foto: Divulgação)

Especialista do COT fala sobre a doença que é a segunda maior causa de morte no Brasil (Foto: Divulgação)

No Brasil, a estimativa para 2015, aponta para a ocorrência de um número aproximado de 570 mil casos novos de câncer, incluindo os de pele não melanoma, reforçando a magnitude do problema. O câncer de pele do tipo não melanoma (182 mil casos novos) será o mais incidente na população brasileira, seguido pelos tumores de próstata (69 mil), mama feminina (57 mil), cólon e reto (33 mil), pulmão (27 mil), estômago (20 mil) e colo do útero (15 mil).

Além dos índices nacionais, o COT – Centro Oncológico do Triângulo alerta também para as estatísticas na região do Triângulo Mineiro. “Atendemos uma macro região de 2 milhões de habitantes. Pelas taxas epidemiológicas teremos em torno de 5 mil casos novos ao ano. Desse total 30% deve ser de câncer de pele, sendo que a maioria é tratada no consultório do dermatologista ou cirurgião plástico e quase 100% é curado. Os demais tumores a taxa de cura no Brasil, e na nossa região é de 60%”, afirma o oncologista clínico, Rogério Araújo.

Ainda de acordo com o especialista, os cânceres mais frequentes são, exceto o câncer de pele, o de próstata, pulmão, intestino e estômago nos homens e nas mulheres o de mama, intestino, colo de útero, tireoide e estômago. Dentre estes, os mais fatais no Triângulo Mineiro, são nos homens o câncer de pulmão e nas mulheres o câncer de mama.

Fatores de risco

Os fatores de risco podem ser encontrados no ambiente físico, ser herdados ou representar hábitos ou costumes próprios de um determinado ambiente social e cultural. Sabe-se que de 60% a 70% dos cânceres estão relacionados ao meio ambiente (tabagismo, alcoolismo, hábitos alimentares, medicamentos, radiação, entre outros).

Tratamento

Após o diagnóstico do tipo de câncer, é feita a escolha do tratamento mais adequado para combater aquele tipo específico. “Os tratamentos podem incluir cirurgia, radioterapia, terapia hormonal, quimioterapia e transplante de medula óssea. Em muitos casos, é necessário combinar mais de uma modalidade. A cirurgia pode ser a retirada apenas do nódulo, passando por outros tipos e conforme o caso, chegar à retirada total do órgão. O tipo de tratamento dependerá do estadiamento da doença, tamanho do tumor e fatores pessoais, como idade”, explica Dr. Rogério.

Simpósio de oncologia reúne mais de 300 pessoas em Uberlândia

Mais de 300 pessoas participaram da VI edição do Simpósio de Farmacêuticos Oncológicos e V edição do Simpósio de Enfermagem Oncológica promovido pelo COT – Centro Oncológico do Triângulo no último sábado (25) em Uberlândia. O evento reuniu estudantes e profissionais da saúde com atuação em Uberlândia e Uberaba, na região do Triângulo Mineiro e em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.

O simpósio trouxe discussões recentes sobre a descoberta de novos medicamentos mais eficazes no tratamento dos diversos tipos de câncer. Os temas mais aguardados neste ano foram a Administração de Quimioterápicos, Pesquisa Clínica, Curativos, Biossimilares, Radiotoxidade e Assistência Domiciliar. “O evento foi um sucesso. Profissionais e estudantes puderam receber e discutir sobre as mais atuais informações que envolvem o mundo da oncologia. Isso foi gratificante já que o propósito é promover e disseminar o conhecimento”, disse a coordenadora da Assistência do COT e uma das responsáveis pela organização do Simpósio, Jussaine Alves.

Fotos: Luciana Santos / Divulgação

Suor excessivo pode ser tratado

suorO suor é uma substância composta por água e pequenas quantidades de sais minerais e tem a função de ajudar à regular a temperatura corporal. O problema é quando essa atividade ocorre de forma excessiva, causando desconforto no indivíduo. Neste caso, a transpiração pode ser considerada uma disfunção chamada hiperidrose. “Na maior parte, a doença atinge as mãos, axilas, pés, mas também pode se manifestar na face, couro cabeludo e outras areas do corpo. Independente da temperatura – calor ou frio – o suor da pessoa que tem hiperidrose é excessivo”, afirma a dermatologista Juliana Gumieiro.

A doença pode ser caracterizada de duas formas: primária quando não tem uma causa definida ou secundária quando ocorre em consequência de outras patologias. “Estima-se que a doença acomete aproximadamente 5% das crianças. Por exemplo, quando a criança fica muito ansiosa as glândulas sudoríparas fazem uma produção excessiva, ocorrendo o suor. Já na fase adulta, a transpiração excessiva pode ter diferentes causas, como stress, alergias e outras doenças”, disse a dermatologista.

Tratamento

A dermatologista diz que a orientação é buscar um médico para diagnóstico e tratamento da doença. “Existem hoje formas de tratamento menos agressivas do que a cirurgia, como a aplicação de toxina botulinica (botox). O botox inibe a ação das glandulas sudoríparas e dura aproximadamente 1 ano. A vantagem com relação a cirurgia é que não produz a hipridrose compensatória, onde o corpo para de suar no lugar e começa a suar em outro, como as costas por exemplo. Outras práticas para tratar o problema têm efeito temporário como o uso de clínicos, tópicos e medicações orais”, explicou.

Quimioterapia oral é tema de simpósio em Uberlândia

simpósio

No início do ano, as operadoras de saúde incluíram a cobertura da quimioterapia oral para pacientes em tratamento contra o câncer. A mudança feita pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) era uma demanda antiga dos médicos e representou grande avanço na época de aprovação. O assunto também é tema da VI edição do Simpósio de Farmacêuticos Oncológicos e da V edição do Simpósio de Enfermagem Oncológica, que será realizado pelo COT – Centro Oncológico do Triângulo neste sábado (23), na Unialgar, em Uberlândia.

Segundo a coordenadora da Assistência do COT e uma das responsáveis pela organização do Simpósio, Jussaine Alves, a quimioterapia oral vem agregar valor a tratamentos inovadores contra o câncer. “A medicação oral contribui para a melhora da qualidade de vida dos pacientes. Entretanto, apresenta toxicidades semelhantes à terapia endovenosa. Estudos relacionados à quimioterapia oral informam que 53% dos pacientes têm dificuldades de adesão ao tratamento. Por isso, é necessário cuidados de instrução a família e ao paciente quanto à administração dos comprimidos, armazenamento e adesão. Depois da determinação da ANS, planos de saúde passaram a receber 37 drogas orais indicadas para o tratamento de 56 tipos de câncer”, disse Jussaine.

Além da discussão sobre drogas orais para o tratamento do câncer, o evento traz como tema principal a “Inovação e Pesquisa no Cuidado Integral ao Paciente Oncológico: Em Busca da Excelência”. O simpósio é gratuito e destinados aos interessados em obter mais informações da área oncológica.

Serviço
VI Simpósio de Farmacêuticos Oncológicos e V Simpósio de Enfermagem Oncológica
Data: 25 de outubro de 2014
Horário: 8h às 17h
Local: Unialgar (Av. Floriano Peixoto, 6495 – Alto Umuarama)
Confira a programação completa pelo site: www.simposiocot.com.br

Motivo do meu olhar mais bonito

Muita gente tem perguntado o que eu fiz para deixar o meu olhar mais bonito. Depois que recebi indicação de uma amiga, comecei um tratamento natural para alongar os cílios. Quem tem feito este trabalho comigo é a esteticista colombiana Pauly Sierra, que atende em uma clínica na avenida Brasil, 1808.

cilios

Estou super satisfeita com o procedimento. Além de valorizar o rosto e dar vida à expressão, a técnica da Pauly é totalmente natural. Diferente de outros lugares que usam fios artificiais, sintéticos ou emborrachados e ainda são colados, o que na hora de tirar corre o risco de arrancar os fios naturais. Já pensou?

A Pauly Sierra tem mais de seis anos de experiência no alongamento de cílios e disse que no Equador, a técnica é comum entre as colombianas que buscam destacar os olhos.

Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho da Pauly Sierra, entre em contato pelo telefone (34) 9209-3030 ou paulysbeleza@gmail.com

Novas técnicas para diagnóstico e combate a calvície

A queda de cabelos e perda de volume capilar é um problema que incomoda homens e mulheres. Porém, hoje existem tratamentos efetivos que podem prevenir o problema e tratar o volume capilar. De acordo com a dermatologista Juliana Gumieiro, o primeiro passo é fazer o diagnóstico da causa. “Existem mais de 100 tipos de razões de queda. Entre elas estão: alteração de tireoide, deficiência de vitaminas, medicamentos, dermatites, emagrecimento, pós-parto, entre muitas outras. Já a calvície é diferente. A causa é genética, portanto, não tem cura, mas tem tratamento”, conta.

Com uma combinação de tratamentos e diagnóstico precoce conseguimos bloquear de 80 a 90% a evolução da calvície, afirma a dermatologista Juliana Gumieiro (Foto: Divulgação)

Com uma combinação de tratamentos e diagnóstico precoce conseguimos bloquear de 80 a 90% a evolução da calvície, afirma a dermatologista Juliana Gumieiro (Foto: Divulgação)

Queda de cabelo

Diariamente perdemos cerca de 50 a 100 fios, que são substituídos por outros que nascem iniciando um novo ciclo. Para saber se a queda está normal, a especialista explica que hoje existem exames que determinam a exata porcentagem de queda dos fios. “É normal ter uma queda de 15 a 20% dos fios diariamente. Com o mapeamento digital Tricoscan, sabemos o quanto exatamente está a porcentagem para introduzir o tratamento adequado”, explica a especialista.

Novas tecnologias

Uma recente (e animadora) tecnologia que vem se expandindo no Brasil é o uso do LLLT (Low Level Laser Theraphy), um laser de baixa fluência que promove um estímulo dos folículos do couro cabeludo de forma indolor e não invasiva, tratando a calvície e redução do volume capilar.

O raio penetra no couro cabeludo aumentando o metabolismo através do ampliação da produção de energia (ATP) e diminuindo os radicais livres do local. Com isso, é possível observar o aumento da espessura, qualidade e força dos fios, além de um ganho visível de volume capilar e a diminuição da queda dos fios. “O laser estimula a produção das proteínas responsáveis pela formação dos fios e com isso produz um fio de melhor qualidade. O aspecto quebradiço e sem brilho dá lugar a um fio mais saudável. Também pode ser utilizado para tratar dermatite seborreica (caspa) e oleosidade excessiva, devido ao efeito antiinflamatório do laser. Ele melhora a vascularização local com a diminuição de edema e aumento do aporte de nutrientes para os fios”, conta Dra. Juliana.

Indicação do LLLT

O LLLT é indicado no tratamento de calvície feminina e masculina, queda importante e dermatites do couro cabeludo, sempre associada ao tratamento medicamentoso. Também é indicado após agressões químicas externas dos fios, como alisamentos e tinturas, que danificam a haste dos cabelos. São necessárias em torno de 16 a 20 sessões em aproximadamente três meses para observar os resultados e o aumento de volume.

Campanha virtual “Doe mais que dinheiro” do Hospital do Câncer

Oi, amigos. No post de hoje, quero convidá-los para participar da nova campanha virtual do Hospital do Câncer. O Grupo Luta Pela Vida, a ONG do Hospital do Câncer em Uberlândia, acaba de lançar o aplicativo “Doe mais que dinheiro”. Os recursos arrecadados ajudarão o hospital público, a manter o tratamento de 6 mil pacientes, vindos de cerca de 60 cidades da região. Atualmente, são gastos milhões de reais em materiais, equipamentos, medicamentos e folha de pagamento dos funcionários. Por isso, a sua contribuição é importante.

A campanha ganhou um comercial super bacana que você pode assistir clicando abaixo:

Conheça o aplicativo da campanha “Doe mais que dinheiro” clicando aqui.

 Scroll to top